Campania e Molise - Comece em casa a sua viagem à Itália

Atualizado: 6 de Mai de 2020

Uma encantadora mescla de litoral e interior, esse roteiro apresenta lindos terraços sobre o mar, mesas fartas de massas, pizzas e pescados e muita história em palácios, castelos, ruínas romanas e templos gregos.


Se quiser acompanhar o roteiro ouvindo a nossa playlist das duas regiões no Spotify, clique aqui (ou volte para ouvi-la a qualquer hora).


Amalfi, na Campania, e as ruínas de Altilia Saepinum, em Molise (fotos: Shutterstock)





Nossa viagem começa em Nápoles, a maior e mais importante capital do Sul da Itália. A pulsante cidade, com uma imponente baía e a vista espetacular para o Vesúvio, é famosa pela pizza, mas tem muita história e cultura disponíveis entre as refeições.

Nápoles (foto: Shutterstock)


Um dos mais belos teatros do país, o San Carlo guarda inúmeros detalhes de sua fundação (1737).

Teatro San Carlo (foto: Flickr – Anna & Michal)


Ainda mais antigo (de 1600), o Palácio Real traz o clima de uma das residências dos reis de Nápoles e Sicília. Na visita ao prédio, pode-se percorrer salas adornadas com pinturas, estátuas, tapeçarias e móveis de época, além do Teatro da Corte, da Capela Real e dos Jardins Reais.

Palácio Real (fotos: Flickr - Armando Mancini e Wikimedia Commons - Mentnafunangann)


A volta no tempo do nosso tour napolitano ainda vai até a Idade Média. Construído em 1279, o Castel Nuovo (também conhecido como Maschio Angioino) serviu de residência real, fortaleza militar e, no século 18, voltou a ser ocupado pela realeza. Além da singular arquitetura, o castelo funciona como sede do Museu Cívico da cidade.

Castel Nuovo (Maschio Angioino) (foto: Wikimedia Commons - Luca Aless)



No posterior passeio a pé pelo Centro Histórico de Nápoles, ainda entramos na Capela de Sansevero, uma joia do barroco italiano que tem, entre suas maiores atrações, a escultura do Cristo Velado (Giuseppe Sanmartino, 1753).

Cristo Velado – Capela de Sansevero (foto: David Sivyer, Wikimedia Commons)


A primeira tarde livre do nosso roteiro pode ser usada para conhecer outros pontos importantes da cidade, a exemplo do Museu Arqueológico Nacional, sede de uma riquíssima coleção de arte da Antiguidade, ou para um giro no Parque Arqueológico de Ercolano. Embora bem menor do que Pompeia, a cidade, também destruída pela erupção do Vesúvio (79 d.C.), deixou um rico legado sobre as construções e a cultura daquela época.

Museu Arqueológico Nacional e Parque Arqueológico de Ercolano (fotos: Wikipedia e Pixabay)


Outros encantos de Nápoles também estão no seu golfo e o nosso roteiro inclui um passeio de um dia para a maior ilha da região, Ischia. Lá, você desfruta de um cenário repleto de casas coloridas, montanhas verdes e um mar transparente. O almoço é no Norte da ilha, na aprazível Lacco Ameno.

Castelo Aragonese, na Ilha de Ischia (foto: Shutterstock)


A proximidade com o mar, dessa vez sobre um “terraço” esculpido pela natureza, é o ponto alto da viagem a Sorrento. No roteiro há um almoço típico na cidade e uma tarde livre para caminhar pelas animadas ruelas do Centro.

Sorrento (foto: Shutterstock)

Antes de entrar na região de Molise, nossa programação inclui uma parada em Caserta, interior da Campania, para visitar a Reggia, um grandioso palácio real, muito comparado ao de Versalhes. A construção, de cinco andares e 47.000 metros quadrados, começou a ser erguida em 1752, mas só ficou pronta no século seguinte. Além dos acervos da parte interna, chama a atenção sua espetacular área verde, composta pelo Parque Real, o Jardim Inglês e a Floresta de San Silvestro.

Reggia de Caserta (foto: Panoramio - Carlo Pelagalli)


No almoço desse dia, já em Molise, na cidade de Venafro, temos uma degustação do famoso azeite local – Venafro é conhecida como a “Cidade do Azeite” e tem um tipo de oliveira autóctone, que produz uma azeitona chamada Aurino.

Palazzina Liberty, em Venafro (foto: Arquivo Polvani)



Prosseguindo em território molisano, o nosso roteiro passa por outras três localidades da região. Na pequena Castelpetroso, onde o grupo se hospeda, você tem a chance de conhecer a famosa Basílica dell’Addolorata, construção em estilo neogótico iniciada em 1890 e consagrada apenas em 1975.

Basílica dell'Addolorata, em Castelpetroso (foto: Shutterstock)

Essa cidade também é ponto de partida para visitas à antiga cidade romana de Altilia-Saepinum, que preserva ruínas de muralhas, um teatro e outros edifícios, e da capital de Molise, Campobasso. Lá, nosso tour prevê um giro pelo Centro Histórico, que também pode ser admirado do alto do Castelo Monforte, referência local.

Altilia Saepinum e Campobasso (fotos: Shutterstock)



A volta para a Campania inclui um passeio na província de Avellino, com parada para almoço e visita a uma vinícola, antes de revermos o litoral do Mar Tirreno, em Salerno. Essa cidade abriga um Duomo belíssimo. Sua catedral resiste desde o século 11 e tem como destaque a Cripta de São Mateus.

Cripta de São Mateus, no Duomo de Salerno (foto: Wikipedia)